Esperar... até quando?


Você até tenta. Coloca um sorriso no rosto e finge que é forte, finge que está tudo bem, que está melhor assim... Só que, uma hora, o inevitável acontece. De repente, essa força dissimulada começa a se esvair aos pouquinhos e a frustração que você tentou maquiar com um sorriso, se revela por completo. Quando nota, já não resta mais nada a não ser a dor de não saber o que fazer, para onde ir e a quem recorrer. Nessas horas, qualquer lampejo de alegria é ilusório e, então, você começa a pensar que a vida lhe sorriu como nunca. Mas é quando você tenta agarrar essa alegria que tudo vem à tona. O choque de realidade. E essa realidade é bem diferente daquela quimera onde você se acomodou. Nada é o que parece ser, tão pouco é o que você queria que fosse. De repente, aquele lampejo de alegria que você pensou que era sua salvação, se transforma em uma tempestade de frustração, com direito a maremotos e tornados. E então volta à estaca zero...

No final, como de costume, ficam apenas aquelas perguntas sem respostas: será que nunca vai acontecer comigo? Será tudo uma ilusão? Será? Será? A verdade é que não há lógica e você precisa desistir de entender e somente aceitar. Não é o que dizem? "Não se preocupe, não tenha pressa. O que é seu, encontrará um caminho para chegar até você." (CFA) 

Até quando vale a pena esperar?

— Diego Dittrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram