No Campo de Batalha


Abraçada a mim, você chora aos prantos. A minha partida se faz necessária. Há uma esperança, ainda que remota, misturada ao medo que parece controlar tudo a nossa volta. Nossos planos podem se perder para sempre, nossas vidas podem se separar a partir daqui, a distância pode nos ferir profundamente... mas sei que nosso amor não vai sucumbir ao tempo.

Eu fiz essa promessa a você... de voltar assim que puder. Espere por mim, por favor, não esmoreça e eu voltarei antes que a saudade te faça desistir.

No campo de batalha, meu pensamento é o que me leva mais próximo de você e, esta noite, a lua decidiu iluminar todos os meus sentidos. Num vislumbre momentâneo, eu posso te ver e até mesmo te tocar. É quando a minha fé se fortalece para enfrentar o que for preciso.

Foi num momento de distração que senti, de repente, a dor me queimar por completo. Tudo o que vejo é a cor rubi se espalhar a minha volta. Arde, queima, sufoca, dói, desatina... vejo toda a minha vida diante dos meus olhos. Mas o que me conforta é ver o seu sorriso agora mais belo do que nunca. Esta é a minha última miragem antes de fechar os olhos...

Diego Dittrich

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA DE FILME: Um Amor Para Recordar (A Walk To Remember) - 2002

Dançando na Chuva

Sempre chega a hora