Dias escuros


Os dias escuros me confundem
Não sei se ainda é noite
ou se já amanheceu
Aliás, não sei mais quem sou
É uma angústia constante
de querer me tornar melhor
Só que você partiu...
Deixou meu peito sangrando
e uma ferida exposta
que nunca vai cicatrizar
Compreendi que nada sou
e que nada serei agora
Perdi o que, um dia, foi meu

Já não sei das horas
Perdi a noção do tempo
e das minhas vontades
Não vou mais lutar
Cansei de perder e chorar
Cheguei no limite da minha resistência
Agora, sozinho eu vou,
por uma estrada sinuosa,
cheia de curvas e traiçoeira
Se eu cair, não me salve
Já não tenho mais a nada a perder
Vou viver o que ainda me resta
dos meus dias escuros e frios

Diego Dittrich

Um comentário:

  1. Esse é um daqueles que falam sobre nós!
    Lindo! Parabéns! S2

    ResponderExcluir

Instagram