Untitled (Vento da Liberdade)

Meus últimos textos têm sido tão depressivos, não acham? Preciso rever alguns conceitos... rsrs... mas, enfim! Prometo que esse será o último desabafo mental (rs!). Tenho alguns mais emotivos, sentimentais e expressivos guardados comigo e quero compartilhar, em breve, com vocês! Por enquanto, fica esse mesmo... como desabafo e fala um pouco sobre mim!
Sempre tive uma capacidade incrível de me esconder,
de me suforcar dentro da minha própria concha,
de não deixar transparecer o que eu estava sofrendo...
Tentava fechar os olhos pra não enxergar
aquilo que era óbvio demais para mim...
Vivia trancado, acorrentado por dentro, enquanto
minha mente queria gritar, soltar sua voz...
Então, eu sofria calado...

Os murmúrios do meu corpo foram se tornando intensos
a ponto de eu não saber controlar minha própria voz...
Minha melhor arma sempre foi o meu sorriso fingido
e a sensação ilusória de felicidade estampada no rosto
mas não foi o suficiente para me fazer cair...
Tropecei em trevas dentro do meu próprio coração,
a força de vencer fugia do alcance das minhas mãos
e eu me enfraquecia dia após dia...

O sorriso se enfraqueceu...
A felicidade ilusória se reprimiu...
Meu corpo se entregou...
Minha mente se extinguiu...

Temo não ter mais sentimentos,
nem forças para me recompor...
Temo ter chegado ao ponto de enlouquecer
e perder tudo aquilo que eu já conquistei...

Se é real ou ilusão, eu não sei...
Então desabafo para o vento que passa por mim...
Quem sabe ele não ajude a propagar minha voz
antes falha, perdida e insensata...
Quem sabe ele não me leve daqui e me faça sorrir...
É o vento da mudança... o vento das decisões...
O vento da liberdade e eu vou acompanhá-lo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA DE FILME: Um Amor Para Recordar (A Walk To Remember) - 2002

Dançando na Chuva

Sempre chega a hora